Main Contents

Google Chrome, ou quando abrir o código à aplicação?

Por Marco Lopes em 2008

Regra geral evito escrever sobre a "notícia do dia" ou da semana. O que não falta é gente que escreve um post a dizer que saiu o novo Firefox, o novo Ubuntu, o novo não sei o quê que já toda a gente sabe que saiu. Mas neste caso vou escrever sobre o novo Google Chrome. Não vou escrever para noticiar, ainda que tardiamente, o lançamento do dito, nem vou escrever para dizer o que acho dele, já que o facto de o Google Chrome não ter sido ainda lançado para Linux ou Mac impede que o possa testar.

Então de que vou eu falar? Vou falar do artigo "Quando abrir o código de uma aplicação?". Parece que o pessoal do google anda a ler o que eu escrevo. Nesse artigo, eu referia algumas das vantagens que uma empresa poderia tirar do lançamento de uma aplicação com uma licença de Software Livre. Isto é exactamente o que vemos no Google Chrome. O google, sendo uma empresa cujo modelo de negócio é baseado na web, tem toda a vantagem em que o desenvolvimento de aplicações web seja o mais rápido e simples possível, e toda a conveniência em que as coisas corram bem e de forma semelhante para todos os utilizadores.

Posto isto, o google é um dos grandes prejudicados com a guerra dos browsers e as incompatibilidades que estas provocam. Fazer um Gmail, Google Calendar ou Google Docs, correr no Firefox, Safari e cada um dos IEs terá custado muitas horas e ordenados ao Google que poderiam ter sido aplicadas em algo mais inovador do que perceber porquê que determinado JS funciona em IE6 e Firefox mas não no IE7 ou algo do género.

Assim, o google lança um browser seu, mas... em vez de o lançar como um produto com o qual pretende ganhar dinheiro directamente, lança-o como um produto aberto, sob uma licença Open Source não restrictiva. A consequência disto é que o Google Chrome, em vez de ser mais um browser com o qual se tem que fazer testes de compatibilidade pois é diferente dos outros todos que já existe, é a médio prazo, no caso de este ser tão bom e inovador como é anunciado, a possibilidade de este passar a ser o core dos outros grandes projectos para web browsers existentes, reduzindo assim as incompatibilidades e dando ao google a vantagem de poder desenvolver com mais facilidade dentro da sua área de negócio, utilizando um engine optimizado para isso.

O próprio google, assume publicamente esta posição, como se pode ver na página 37 do cartoon de apresentação do Google Chrome que foi lançado ainda antes do próprio browser.

Eis aqui um grande exemplo de quando lançar uma aplicação utilizando o modelo Open Source.

Permalink | Enviar post por email Enviar post por email | Empresas

1 Comentário

  1. vitor Maio 3, 2009 @ 13:28

    codigos

Deixe o seu comentário


Feed